Terça-feira, 30 Novembro 2021
Fale com a gente! (18) 3022-2303

NOTÍCIA

04/11/2021

Butantan inicia mapeamento do vírus da Covid

Região


Butantan inicia mapeamento do vírus da Covid

O laboratório móvel do Instituto Butantan criado para percorrer o estado de São Paulo mapeando o vírus da Covid-19 começou a operar nesta quarta-feira (3), em Marília (SP).
Esta será a quinta parada do projeto Lab Móvel, que nas duas últimas semanas esteve em Araçatuba e já atingiu o número de 10 mil testes de Covid realizados.
O objetivo do Lab Móvel é mapear e sequenciar o vírus SARS-CoV-2, além de acelerar o processo de testagem dos casos suspeitos de Covid-19 e das variantes que circulam na
cidade onde ele se encontra e sua região.
Além de Marília, serão mapeados mais 25 municípios, sendo 20 deles no centro-oeste paulista: Alvinlândia; Arco Iris, Assis, Bastos, Borá, Cândido Mota, Cruzália, Gália, Garça,
Guaimbê, Ibirarema, Maracaí, Oriente, Oscar Bressane, Ourinhos, Paraguaçu Paulista, Pedrinhas Paulista, Pompeia, Salto Grande e Santa Cruz do Rio Pardo.
Com as análises realizadas dentro do Lab Móvel é possível obter o resultado em até 24 horas a partir do momento em que as amostras chegam ao contêiner.
Em seguida, inicia-se o sequenciamento genético, processo que pode durar de três a seis dias, ou até 12 dias para as variantes. Fora do contêiner itinerário, todo esse processo
pode durar de 10 a 12 dias. ";Nosso objetivo com o projeto é analisar as amostras com mais agilidade e assertividade para entender quais regiões do estado precisam de mais atenção”, afirma Sandra Coccuzzo, diretora do Centro de Desenvolvimento Científico do Butantan.
Os municípios que recebem o laboratório se responsabilizam por realizar as coletas de amostras em suas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e encaminhá-las ao laboratório
itinerante. Lá, por sua vez, os especialistas realizam o diagnóstico e, então, separam as amostras positivas para iniciar o sequenciamento e identificar as variantes.
O sequenciamento é necessário porque os vírus sofrem mutações, ou seja, alterações em seus códigos genéticos, gerando variantes.
Ciência na vitrine
O veículo, equipado com alta tecnologia, possui três sequenciadores genéticos, extrator de DNA, centrífuga, seladora, geladeira e freezer para armazenamento de amostras,
entre outros. O investimento total foi de R$ 3 milhões. Os moradores de Marília poderão acompanhar o trabalho dos pesquisadores de perto. Isso porque a estrutura do veículo, de mais de 12 metros de comprimento e quase 3 metros de altura, conta com uma parte de vidro que permite a observação dos procedimentos realizados pelos cerca de 20 cientistas e funcionários do Butantan que atuam no projeto. (Por g1 Bauru e Marília /Foto: Instituto Butantan/Divulgação)

Compartilhe: